sábado, 17 de março de 2018

Dramas de uma geminiana que quer viajar

Acredito que o título desse post mereceria um adendo: "Dramas de uma geminiana SEM GRANA que quer viajar". Porque se vc tem dinheiro a rodo, é fácil decidir um destino. Tudo bem se você estiver em dúvida entre África do Sul e Amsterdã, Grécia e Canadá. Com dinheiro você simplesmente vai conhecendo tudo, só tem que decidir a ordem dos lugares onde ir, assim como pode repetir alguns destinos sem o risco de comprometer outros. Já quando vc sabe que a grana é curta e contada e a vontade de viajar pra todo lugar é imensa, aí se tem um problema. Problema maior ainda se vc é do signo de gêmeos e não consegue decidir - sem dilemas infinitos - nem aquilo que vai jantar logo mais. Só esse ano já vivi dois dramas de viagem e, apesar de não acreditar lá muito em signos - vejo a geminianice em cada partícula do meu ser. Por isso vim escrever sobre isso (não sem antes sofrer por não saber se devia fazer meu roteiro de viagem ou se parava pra escrever no blog... affe).



"Todo geminiano precisa de movimento, de novidades, de tudo o que seus olhos possam apreciar".

"São como as borboletas - leves e rápidas, precisam sentir o aroma de todas as flores. Sua mente funciona como um raio - é ágil, sagaz e astuta". 

"Estabilidade é uma palavra que não faz parte de seu dicionário. São como os ilusionistas, movem-se e mudam de ideia e opinião junto com tudo na vida".

Digite "signo de Gêmeos" no Google e eis algumas definições que vão aparecer. Aí eu, que prefiro o ceticismo às certezas absolutas, me pergunto como não acreditar em astrologia? Sou uma geminiana cuspida e escarrada, por mais que meu ascendente em Touro me traga um pouco para o chão, sou a própria descrição do signo de Gêmeos e adoro isso! Primeiro porque é regido pelo elemento ar, feito pra voar! Segundo porque é o signo das comunicações. Enfim, me identifico e curto muito o meu signo... mas como tudo tem dois lados - geminianos que o digam! - tem aquela parte que é uma sofrência sem fim. Sou um poço de indecisão.

Poderia descrever todas as mil situações em que essa característica da personalidade geminiana interfere, mas vou direto ao ponto do blog: viagens. Quero viajar pra todo lugar. A toda hora. De todas as formas. Não dá. Tem que escolher um mísero destino a cada dois anos (já que estabeleci que vou viajar sozinha num ano e fazer uma viagem escolhida pela minha filha no outro ano, intercalando). Aí começa o dramalhão mexicano.

Em 2017 - quando retomei as rédeas da vida depois de um período de mudanças - a viagem foi para minha filha: Bariloche. Fomos em agosto e, assim que voltamos, eu já tinha na cabeça o estilo de viagem que eu iria fazer neste ano: América do Sul (pra não gastar muito), um lugar fora das capitais (nada de Buenos Aires ou Montevidéu, por exemplo), algo completamente novo aos meus olhos. Estava entre Atacama e Machu Picchu, Machu Picchu e Atacama. Eis que, em outubro, surge uma super promo de passagem aérea com vôo direto para Calama, aeroporto mais próximo do Atacama. Hesitei um pouco... mas comprei. 

Não havia pesquisado quase nada sobre o destino, não tinha nada em mente, mas comprei. A data: fim de maio de 2018, logo depois do meu aniversário, viagem de presente pra mim! Ok, eu ainda tinha bastante tempo pra pensar em tudo... e se tem uma coisa que geminiano faz nessa vida é pensar! Pensa, estuda, lê, relê, fala com um, fala com outro, fica com aquilo matutando dia e noite na cabeça em meio a milhões de outros pensamentos. Cansa, viu? Mas é assim que "somos" - os geminianos, em geral.

Sei que o ano terminou e logo estava chegando o Carnaval, minha festa preferida no mundo inteiro! É por isso que, além da viagem do ano, tem sempre o Carnaval na minha vida, que é sempre uma escapada mais curta que uma viagem de verdade porque divido o feriado com o pai da Luísa: ele fica com ela três dias e eu fico com ela três dias. Assim os dois curtem o Carnaval mas também aproveitam a festa com ela. 

Desde o ano passado, quando conheci o Carnaval mais maravilhoso da vida, no Rio de Janeiro, estava na minha cabeça que este ano eu iria repetir a dose: iria pra lá nos meus três dias sem Lulu. Virou o ano, tipo 02 de janeiro, pesquisei preço de passagem, hostel... comprei. Logo depois começaram a pipocar os ensaios de blocos de Carnaval em São Paulo, vários eventos bacanas antes e durante o Carnaval. Algo meio "novo" por aqui, já que foi de uns dois anos pra cá que começou a popularizar isso de bloquinho de rua. Aí, já com tudo fechado pra ir pro RJ, bateu aquela geminianice: será que eu não devia curtir o Carnaval por aqui este ano?

No ano passado, fiz assim: curti o pré-carnaval em SP e o Carnaval propriamente dito no Rio, o que foi perfeito! Só que neste ano eu tinha um casamento longe no mesmo fim de semana do pré-carnaval, então só tinha os três dias do Carnaval pra aproveitar. Vários amigos combinando a ida aos bloquinhos de SP, várias coisas bacanas surgindo por aqui e eu sonhando em me dividir em duas para estar aqui e lá aos mesmo tempo. Que vida!

Pra ajudar na indecisão, a violência estava comendo solta nos telejornais com notícias sobre o Rio de Janeiro. E eu não posso morrer né, tenho uma filha pra criar (antes da Luísa eu não tinha medo de morrer, sério)! Cheguei a ver como seria para alterar as passagens, a multa pra cancelar a reserva do hostel, enfim, causei, quebrei a cabeça, perdi o sono. Até decidir manter tudo como estava pra não perder dinheiro. Fui para o Rio de Janeiro e foi maravilhoso, sensacional, inesquecível (não vi nada da violência vendida pela mídia, pode ter sido sorte, mas não vi). Só que até bater o martelo e definitivamente ir, foi um perrengue na mente geminiana!

Ok, passado o Carnaval já voltei a mirar minha próxima viagem, fim de maio. Comecei enfim a pesquisar mais sobre o Atacama. Legal. Bacana. Lugar incrível. Mas gente... Machu Picchu parece ser tão demais, né? Voltou o drama da indecisão. Não devia ter comprado a passagem no impulso só por causa da promoção! Ah, quer saber? Já tá feito, vou sim pro Atacama. Será? Eu pensava: se eu for pro Atacama esse ano, aí no ano que vem é viagem pra Luísa (não levaria ela pra Machu Picchu, viagem pra ela é viagem com atrativo infantil), aí no ano seguinte até poderia fazer Machu Picchu mas... América do Sul, de novo?

Depois de fritar o cérebro com tudo isso, pesquisando Atacama e Machu Picchu, conversando com quem já foi, decidi. Ja tem alguns dias que paguei a multa de alteração de destino da companhia aérea e está definido: dia 28 de maio embarco para Machu Picchu! Ufa, que drama, que sofrimento, precisava de tudo isso? Pois é, talvez se eu fosse ariana ou escorpiana seria mais simples, mas com esse meu "ser ou não ser, eis a questão" da vida geminiana, nunca é diferente! Nunca é "sem emoção".

Agora, com o Guia do Peru emprestado por uma grande amiga em mãos, com várias indicações de sites e relatos de viagem em milhões de abas abertas no meu navegador, vou começar a fazer meu roteiro. Aí começa tuuudo de novo: este ou aquele passeio? Este ou aquele hostel? Indecisões deliciosas de quem está - enfim - com destino definido!!!!

Com vocês é assim? Como decidem as viagens? Primeiro acho que é o dinheiro que se tem pra gastar que define né, comigo é o primeiro determinante (fazer o que?). Só que são muitas as variáveis que vêm depois disso! É por isso que vim aqui escrever para enfim liberar a adrenalina de semanas de indecisão! Que venha Machu Picchu!

:)





2 comentários:

  1. Paaaaam! Aproveita sua viagem, tenho certeza que será inesquecível!!!!
    E depois conta tudo no blog pois eu quero ir pro Peru um dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ebaaaa! E eu não desisti de fazer uma viagem com vc um dia, só quero ver como vai ser decidir o destino! ;) Love ú

      Excluir