sábado, 30 de dezembro de 2017

Adeus ano velho, feliz ano novo...

... que as viagens se realizem, no ano que vai nascer! Penúltimo dia do ano e essa musiquinha martela na cabeça (com livre adaptação na última frase). A garoa insistente desde cedo reforça o convite à reflexão sobre o ano que passou e os pensamentos sobre 2018 que vem chegando. Vejo um post no Facebook que resume aquilo que - pra mim - conta como "balanço" não só de um ano, mas de uma vida: se você teve saúde, se você teve amigos verdadeiros, sexo que valeu a pena, comida da boa, viagens bacanudas, teve um ano bom! O que é um bom ano se não aquele em que se tem tudo isso e amor no coração? Minha retrô 2017 conta com esses cinco itens e as previsões para 2018 são otimistas! Textinho de fim de ano porque sim!


Não é que 2017 foi o ano em que voltei a escrever no blog??? Que alegria começar esse texto lembrando disso! Reviravoltas da vida à parte (já explicadas aqui), termino o ano feliz por ter retornado pra cá! Foram só nove postagens, assim como foram poucas viagens em 2017, mas foram o suficiente para eu olhar para o ano que termina como um ano de "renascimento" depois de longos anos de aprendizados e mudanças. Ainda há muito a aprender e a mudar, sempre, mas voltar a viajar "como deve ser" é pra mim o que conta na hora de fazer aquele sagrado balanço de fim de ano que acho que todo mundo faz, mesmo que mentalmente. A vida é bem louca e nessa de se buscar um propósito para essa existência eu ainda caminho a passos de tartaruga (sem pensar em desistir), mas como até então viajar é o que mais me faz feliz, meu saldo de 2017 é extremamente positivo, pelo menos para minha realidade. Vamos a ele.

Comecei o ano na Praia de Copacabana, quer mais o que? Carnaval, lá estava eu no RJ de novo! Não me conformo quanto tempo levei nessa vida pra passar um Carnaval no Rio de Janeiro, mas enfim... em 2017 eu estava lá e foi incrível. Não que Carnaval seja considerado "viagem", Carnaval é Carnaval, mas tá valendo! Em julho fiz a primeira viagem "de verdade" com a minha filha, pra Bariloche. Em setembro - tcharam! - fui de novo para o Rio de Janeiro pra fazer algo que também era absurdo que eu nunca tivesse feito, que era viver o Rock in Rio. Outra coisa que não é bem uma viagem mas que conta como essa retomada à vida de quem veio ao mundo pra ver o novo. Ok, faltou uma viagem agora, no fim do ano, pra fechar 2017, mas não deu. De qualquer forma, quando penso em 2017, são esses acontecimentos que vêm à mente como aquilo que fez o ano ser bom, muito bom, aliás!

Viagens são marcos. Na minha cabeça, viajar é o que pontua um período e outro da vida. Tanto que estou aqui tentando lembrar se fiz alguma viagem em 2016... e, como não fiz, parece que foi um ano "vazio". Ok, nenhum ano, nenhum mês, nenhum dia, nem um instante sequer é vazio. O ano de 2016 foi um ano de extrema mudança e que exigiu muito de mim em todos os sentidos, por isso, acabou sendo um ano de "resguardo", sem viagens, talvez seja esse o motivo pelo qual eu mal me lembro dele.

Engraçado como meu cérebro se programou a pensar dessa forma: a lembrar de cada ano pelas viagens que fiz. É por isso que, ao listar os planos para 2018, a primeira coisa que me ocorre é planejar viagens! Se 2017 foi o ano de retomar esse que é meu maior prazer, espero que 2018 seja o ano de consolidar essa intenção de fazer aquilo que eu mais amo na vida. Claro que tanto 2017 quanto 2018 tiveram e terão muito mais... tem minha filhota, tem trabalho, tem o universo ao redor com quem tento ser e fazer o meu melhor... mas - repetindo a abertura desse texto - como não desejar os cinco itens da imagem acima como o mínimo pra se ter um ano bom?

Ter saúde pra desfrutar e encarar esse mundão. Bons amigos pra dividir agonias, alegrias, ideias, cervejas. Orgasmos sim porque... né? Apreciar comida gostosa porque se privar disso é pura hipocrisia. Pra completar, viagens fodaaaas pra fazer mais um ano valer a pena! No fim das contas o que entra no balancete é isso aí! Pode parecer pequeno diante de tantas coisas que estamos vivendo quando olhamos o pra esse mundão de meu Deus com tantos absurdos e injustiças que precisam do nosso posicionamento para serem mudados... por isso acrescentaria "fazer o bem" a essa listinha despretensiosa mas cheia de segundas - e terceiras - intenções!

Que assim seja e que venha 2018!

Nenhum comentário:

Postar um comentário